Data : 29/10/2015

Dados sujeitos a alteração sem aviso prévio.

O conteúdo deste material on-line não expressa, necessariamente, a nossa opinião.

Reportar erro

XVI Semana Teológico-pastoral 21-23 de outubro de 2015.

Local: Instituto Teológico Franciscano
Rua Coronel Veiga 550 – Petrópolis – RJ

Eco-Teologia: o cuidado de nossa Casa comum à luz da ‘Laudato si’
Uma ética ecológica inclusiva: questão de justiça e compaixão
frater Henrique Cristiano José Matos, cmm.
Texto: Neuci L. Silva

Um animado sorteio de livros antecedeu a última palestra desta segunda manhã da Semana Teológica. Frater Henrique Cristiano José Matos (ISTA-BH), “sem pretensões de linguagem acadêmica”, brindou os participantes da XVI Semana Teológico-pastoral com uma reflexão impactante denunciando as graves agressões à vida. Todas as observações feitas, surgiram de um confronto pessoal.

Frater Henrique utilizou-se de dois pontos de partida para a sua fala nesta manhã: 1) uma ação popular de conscientização sobre as ações da mineradora MMX (uma das empresas de Eike Batista), na região de Igarapé e de São Joaquim de Bicas, dois Municípios que fazem parte da grande BH, exemplo típico de empresa unicamente preocupada com os lucros; 2) um convite recebido em dezembro de 2014 para participar de um simpósio, planejado para agosto de 2015 pela Escola Veterinária da PUC-Minas, sobre o uso de animais em pesquisas científicas.

Frisou que numa visão ecológica verdadeiramente integral, todos os seres devem ser contemplados, pois se apresentam como parentes, como irmãos, pelo fato de todos aspirarem à vida e à felicidade. Nas grandes tradições religiosas a veneração pela vida em todas as suas dimensões é basilar. Nelas aparece também o especial cuidado pela vida ameaçada. Quem se debruça, sem preconceitos, sobre o sofrimento infringido aos animais (como por exemplo as cobaias de laboratório), experimenta uma profunda indignação ética. Os animais tonaram-se meros objetos de exploração humana.

Lembrou São Francisco de Assis que viveu intensamente a “fraternização” de toda a realidade criada. “Quando eliminamos outros seres, atingimos Àquele que nos criou. A veneração pela vida
pertence ao âmago da mensagem cristã.”
Citando o foie gras, a produção de patê de fígado mediante alimentação forçada de pato ou ganso e o baby beef, a obtenção de carne na criação de vitelos, o palestrante exemplificou algumas práticas capazes de anular por completo a consciência ética. Representam terríveis abusos de seres vivos que conosco fazem parte da Casa comum.

A manhã terminou com o seguinte pensamento: “Não podemos dizer que toda a vida é igual, existe uma hierarquia de valores, mas o ponto de partida será sempre o incondicional respeito à vida. Todos os seres vivos são dignos de cuidado”.

Deixe uma Resposta

*

captcha *