Data : 02/02/2018

Dados sujeitos a alteração sem aviso prévio.

O conteúdo deste material on-line não expressa, necessariamente, a nossa opinião.

Reportar erro

RETROSPECTIVA

RETROSPECTIVA E PERSPECTIVA
DA PASTORAL CARCERÁRIA EM SÃO JOAQUIM DE BICAS

No sábado de manhã, dia 30 de dezembro de 2018, reuniram-se no Retiro Vicente de Paulo, em Igarapé, os integrantes da Pastoral Carcerária do Complexo Prisional de São Joaquim de Bicas (três unidades totalizando cinco mil e duzentos presos). Fizemos a avaliação dos trabalhos de 2017 e discutimos sobre o planejamento para 2018.
Além de coisas práticas refletimos, em profundidade, sobre o sentido de nossa presença — como representantes da Comunidade Eclesial Católica da Diocese de Divinópolis — junto à população prisional e repartimos experiências das visitas semanais nas respectivas Unidades Prisionais: Penitenciária Professor Jason Soares Albergaria, Presídio Regional de Bicas I e Presídio Regional de Bicas II.

Adotamos uma nova camisa (veja foto) de identificação dos membros do APC (Apoio à Pastoral Carcerária), que são divididos em várias equipes. Na foto do grupo faltam alguns agentes cuja ausência foi justificada no início da reunião. Durante a Celebração da Palavra foi lida uma carta de presos da cela 9 da Ala 3 do Presídio Bicas II, datada de 8 de dezembro de 2017, cujo conteúdo reproduzimos aqui, seguindo literalmente o texto do manuscrito, enviado pelo correio:

“Nós da Ala 3, cela 9, viemos por meio desta mui respeitosamente, agradecer a Pastoral Carcerária pela sua atenção, empenho e sensibilidade para com os presos. Obrigado! Peçamos a Deus pela plena saúde e vida longa de cada um de vocês, Amém. Diante do exposto rogamos a Deus mui respeitosamente. E nossos sinceros cordiais agradecimentos. “Portanto, esforcem-se para ter amor. Procurem também ter dons espirituais, especialmente o de anunciar a mensagem de Deus. Quem fala em línguas estranhas fala a Deus e não às pessoas, pois ninguém o entende. Pelo poder do Espírito Santo ele diz verdades secretas. Porém quem anuncia a mensagem de Deus fala para as pessoas, ajudando-as e dando-lhes coragem e consolo (1Cor 14, 1-3)”. Pois, tomais tudo isso ao coração, sim para esquadrinhar tudo isso, que os justos e os sábios, bem como suas obras, estão na mão do (verdadeiro e único) Deus. Agradecimentos de: Wemerson Jerônimo, Bruno Ferreira de Oliveira, Stephem Magalhães, Lucas Froes Maia”.

No dia 30 de dezembro, p.p.muito nos alegrou a presença de uma representante da Direção do Presídio Bicas II, a Sra. Márcia Lopes Ferreira, Diretora de Atendimento e Ressocialização, acompanhada pelas agentes de segurança Angelita Merces Silva Prado e Leticia Pereira Alves.

Também estiveram conosco, na parte final da reunião, o Provincial dos Franciscanos da Província da Santa Cruz, Frei Hilton Faria de Souza acompanhado pelos freis Fabiano e Frei José. Muito devemos à colaboração dos Frades Menores, particularmente quato à logística do Centro de Atendimento à Pessoa Presa (APC), no Bairro Nossa Senhora da Paz (Farofa), no Município de São Joaquim de Bicas. Com satisfação foi dada a notícia que, no futuro próximo, podemos também ter uma ajuda efetiva da Província Brasileira da Congregação da Missão (Lazaristas), conforme palavra dada pelo Provincial, Padre Geraldo Mol, CM.

Nas nossas reflexões da manhã do dia 30 de dezembro se enfatizou a importância da espiritualidade na vida de um integrante da Pastoral Carcerária. Sem ela perdemos facilmente o sentido e o porquê de nosso trabalho, tendo como consequência quase inevitável o desânimo, a desesperança e o descomprometimento.
Por fim, foi meditado o seguinte texto: “A Pastoral Carcerária procura olhar e pensar toda a questão das pessoas presas: a situação em que se encontram — as estruturas das cadeias e prisões, e até a própria sociedade — com o olhar do Cristo bom samaritano (cf. Lc 10,25-37). Ela crê firmemente no poder de Jesus crucificado, ressuscitado, e interpreta e trabalha na realidade prisional-penitenciária à luz da pessoa e da prática de Jesus Cristo. Por isso, a espiritualidade da Pastoral Carcerária é a oração, contemplação, ação do agente pastoral ao se colocar e atuar dentro do mundo dos presídios, na sociedade e na Igreja, por causa de seu compromisso com as pessoas presas”.

Veja algumas fotos abaixo: